Cosmopolítica (Stengers 2018 [2007])

[IMAGE] STENGERS, Isabelle. 2018. A proposição cosmopolítica. (Trads.: Raquel Camargo; Stelio Marras) Revista do Instituto de Estudos Brasileiros 69:442-64. [2007] COSMOPOLÍTICA como PRÁTICA MINORITÁRIA (contra teoria generalizante) Como apresentar uma proposição cujo desafio não é o de dizer o que ela é, nem de dizer o que ela deve ser, mas de fazer pensar; e que não requer outra verificação […]

Instintos e instituições (Deleuze 2006)

DELEUZE, Gilles. 2006. Instintos e instituições. (Trad.: Hélio R. Cardoso Junior) In: A ilha deserta e outros textos: textos e entrevistas (1953-1974). São Paulo: Iluminuras, pp.29-32. [1955] INSTITUIÇÃO como MEIO HUMANO DE SATISFAÇÃO DE TENDÊNCIAS-NECESSIDADES (inversamente proporcional à “lei”) A instituição se apresenta sempre como um sistema organizado de meios. É aí que está, aliás, a diferença entre a instituição […]

É brincadeira, mas é sério (Haraway 2018 [1996])

HARAWAY, Donna. 2018. Modest_Witness@Second_Millenium. FemaleManC_Meets_OncoMouseTM: feminism and technoscience. New York: Routledge. [1996] GENES R US Let me tell a parochial story, which travels widely, about turgid and hardened entities. Like toys in other games, Genes R Us, and “we” (who?) are our self-possessed products in an apotheosis of technological humanism. There is only one Actor, and we are It. Nature […]

Informação e virada cibernética (Garcia dos Santos 2003)

GARCIA DOS SANTOS, Laymert. 2003. A informação após a virada cibernética. In: Laymert Garcia dos Santos; Maria R. Kehl; Bernardo Kucinski; Walter Pinheiro. Revolução tecnológica, internet e socialismo. São Paulo: Editora Fundação Perseu Abramo, pp.9-33. UMA REVOLUÇÃO PARA ALÉM DO SOCIALISMO Gostaria de começar […] chamando a atenção […] para o título que foi dado […] à minha intervenção – […]

As técnicas do corpo (Mauss 2003 [1934])

MAUSS, Marcel. 2003. As técnicas do corpo. In: Sociologia e Antropologia. São Paulo: Cosac & Naify, pp.399-422. [1934] [Comunicação apresentada à Sociedade de Psicologia em 17 de maio de 1934. ] SUMÁRIO I. Noção de técnica do corpo II. Princípios de classificação das técnicas do corpo III. Enumeração biográfica das técnicas do corpo IV. Considerações gerais I. Noção de técnica […]

Reativando elementos

Este é o fichamento (na verdade uma coletânea de citações com títulos) do livro Reactivating elements: chemistry, ecology, practice, uma coletânea de artigos editada por Dimitris Papadopoulos, María Puig de la Bellacasa e Natasha Myers. Nem todos os textos foram contemplados neste fichamento, que se concentrou nas referências mais próximas ao sentido químico de “elementos”. Os textos foram apresentados na […]

Humanos e não-humanos em Latour (1994 [1991])

LATOUR, Bruno. 1994. Jamais fomos modernos: ensaio de antropologia simétrica. (trad. Carlos Irineu da Costa) Rio de Janeiro: Ed.34. [1991] O PROBLEMA DO HUMANISMO MODERNO A modernidade é muitas vezes definida através do humanismo, seja para saudar o nascimento do homem, seja para anunciar sua morte. Mas o próprio hábito é moderno, uma vez que este continua sendo assimétrico. Esquece […]

Os 6 critérios batesonianos para “processos mentais”

BATESON, Gregory. 1985. Criteria for mental process. In: Mind and nature: a necessary unity. New York: E.P. Dutton, pp.89-128. [1979] PROCESSO MENTAL (pensamento, evolucão, ecologia, vida, aprendizado) = O TODO (e não as partes) This chapter is an attempt to make a list of criteria such that if any aggregate of phenomena, any system, satisfies all the criteria listed, I […]

Desatando o nó conceitual dos centros de cálculo em Latour (1999)

LATOUR, Bruno. 1999. Glossary. In: Pandora’s hope: essays on the reality of science studies. Cambridge: Harvard University Press, pp.303-11. ACTOR, ACTANT: The great interest of science studies is that it offers, through the study of laboratory practice, many cases of the emergence of an actor. Instead of starting with entities that are already components of the world, science studies focuses […]

“…should…”, ou mais novas antigas regras do método (Rammert 1997)

RAMMERT, Werner. 1997. New rules of sociological method: rethinking technology studies. The British Journal of Sociology 48(2):171-91. APELO POR COOPERAÇÃO (sociologia e estudos de tecnologia) With this contribution I intend to increase mutual recognition and to plead for closer cooperation between general sociology and technology studies. (Rammert 1997:171) NA TRILHA DE GIDDENS Following his example [“Giddens’s ‘New Rules’”] I shall […]