Surfar sem morrer na praia (Foucault, Kittler e Mandelbrot, via Deleuze 2013 [1986], Winthrop-Young 2000 e Plant 1997))

Durante um levantamento bibliográfico para um projeto sobre a agência social do silício, me deparei com os últimos parágrafos do livro Foucault de Gilles Deleuze, quando este falou do silício em “máquinas de terceira geração”: Foi preciso que a biologia saltasse para a biologia molecular, ou que a vida dispersa se reunisse no código genético. Foi preciso que o trabalho […]

Warhol, Picabia, Big Bands, Man Ray e os maquinismos desejantes de Deleuze e Guattari (2010 [1972])

Em um ótimo ensaio sobre o devir-máquina de Andy Warhol, Thierry de Duve (1989:10) mostra como “[d]esde que Delaroche, Champfleury ou Baudelaire expressaram o medo, inspirado pela fotografia, de que o pintor fosse substituído pela máquina, pintores modernos – os grandes, aqueles que merecem ser chamados de vanguarda – responderam com a manifestação de seu desejo de ser uma”, de […]

Breakbeat Science: a ciência da batida quebrada

:::::::::: O BREAK E O BREAKBEAT :. Existem muitas maneiras de definir o break: “uma célula percussiva internamente complexa” (Toop 2000a:92); “a parte da música na qual a bateria assume” (Toop 2000b:14); “a parte de uma faixa de Funk ou Disco que traz apenas percussão, o pico no qual os dançarinos disparam e realizam seus passos mais impressionantes” Reynolds 1999:252; […]

Ação-rede em Bruno Latour

[Este post é uma versão editada de uma seção de Ferreira (2017)] Latour foi um dos poucos cientistas sociais contemporâneos que pensaram seriamente o processo de reticulação nos coletivos humanos. A ação-rede latouriana pode ser entendida como uma “uma grande rede, em forma de estrela, de mediadores que entram e saem dela” e que “existe em função de seus laços” […]

O problema do físico sequestrado por estudantes de ciência política (Walker, Halliday & Resnick 2014)

Eis o problema: You are kidnapped by political-science majors (who are upset because you told them political science is not a real science). Although blindfolded, you can tell the speed of their car (by the whine of the engine), the time of travel (by mentally counting off seconds), and the direction of travel (by turns along the rectangular street system). […]

Guerra?

No texto “A crise sanitária incentiva a nos prepararmos para as mudanças climáticas”, publicado no Le Monde em 25/03/2020, Bruno Latour fez coro ao vírus francês e afirmou que “[p]ela primeira vez depois de anos, milhões de pessoas, trancadas em casa, reencontram este luxo esquecido: o tempo para refletir e discernir sobre o que geralmente os faz se mover inutilmente […]

Homenagem tecnomítica de um “discípulo inconstante”

Dedicatória que abre Antropologia Estrutural: “Permitam, com este livro a ser publicado em 1958, ano do centenário de Émile Durkheim, que um discípulo inconstante renda homenagem à memória do fundador da Année Sociologique, ateliê prestigioso no qual a etnologia contemporânea recebeu parte de suas armas, e que relegamos ao silêncio e ao abandono, menos por ingratidão do que devido à […]

O “fato da associação” em Durkheim (2002 [1894])

DURKHEIM, Émile. 2002. Les règles de la méthode sociologique. Chicoutimi: Les Classiques des Sciences Sociales. [1894]. Mais, en réalité, aussi loin qu’on remonte dans l’histoire, le fait de l’association est le plus obligatoire de tous ; car il est la source de toutes les autres obligations. (Durkheim 2002:62) Mais, dira-t-on, puisque les seuls éléments dont est formée la société sont […]