Humanos e não-humanos em Latour (1994 [1991])

LATOUR, Bruno. 1994. Jamais fomos modernos: ensaio de antropologia simétrica. (trad. Carlos Irineu da Costa) Rio de Janeiro: Ed.34. [1991] O PROBLEMA DO HUMANISMO MODERNO A modernidade é muitas vezes definida através do humanismo, seja para saudar o nascimento do homem, seja para anunciar sua morte. Mas o próprio hábito é moderno, uma vez que este continua sendo assimétrico. Esquece […]

Desatando o nó conceitual dos centros de cálculo em Latour (1999)

LATOUR, Bruno. 1999. Glossary. In: Pandora’s hope: essays on the reality of science studies. Cambridge: Harvard University Press, pp.303-11. ACTOR, ACTANT: The great interest of science studies is that it offers, through the study of laboratory practice, many cases of the emergence of an actor. Instead of starting with entities that are already components of the world, science studies focuses […]

Não-humanos em Latour (1999)

LATOUR, Bruno. 1999. Pandora’s hope: essays on the reality of science studies. Cambridge: Harvard University Press. ESTUDOS de CIÊNCIA MOSTRAM a VIDA DOS NÃO-HUMANOS no COLETIVO If science studies has achieved anything, I thought, surely it has added reality to science, not withdrawn any from it. Instead of the stuffed scientists hanging on the walls of the armchair philosophers of […]

Agência não humana em Latour (2005)

LATOUR, Bruno. 2005. Reassembling the social: an introduction to actor-network theory. Oxford: Oxford University Press. NONHUMAN AGENCY as ANT TEST Although there is no clear litmus test for ANT membership, some ad hoc and make- shift ones may be devised. […] One of them is the precise role granted to non-humans. They have to be actors […] and not simply […]

Ação-rede em Bruno Latour

[Este post é uma versão editada de uma seção de Ferreira (2017)] Latour foi um dos poucos cientistas sociais contemporâneos que pensaram seriamente o processo de reticulação nos coletivos humanos. A ação-rede latouriana pode ser entendida como uma “uma grande rede, em forma de estrela, de mediadores que entram e saem dela” e que “existe em função de seus laços” […]

Guerra?

No texto “A crise sanitária incentiva a nos prepararmos para as mudanças climáticas”, publicado no Le Monde em 25/03/2020, Bruno Latour fez coro ao vírus francês e afirmou que “[p]ela primeira vez depois de anos, milhões de pessoas, trancadas em casa, reencontram este luxo esquecido: o tempo para refletir e discernir sobre o que geralmente os faz se mover inutilmente […]

Um pacifista no meio do fogo cruzado (Latour 2014, 2020)

Latour político? O texto “Para distinguri amigos e inimigos no tempo do Antropoceno”, de Bruno Latour [1], coloca todas as conquistas de sua Teoria Ator-Rede (TAR) a serviço de uma tomada de partido com relação ao negacionismo científico. É um texto importante, tanto para uma compreensão mais ampla da sua sociologia da ciência, quanto para uma possível tomada de partido […]

Reassembling the social (Latour 2005)

TRACE CONNECTIONS What I want to do is to redefine the notion of social by going back to its original meaning and making it able to trace connections again. (Latour 2005:1) NATURAL-SOCIAL ASSEMBLAGES After having done extensive work on the ‘assemblages’ of nature, I believe it’s necessary to scrutinize more throughly the exact content of what is ‘assembled’ under the […]

The social as association (Latour, in Gane 2004)

GANE, Nicholas. 2004. Bruno Latour: the social as association. In: The future of social theory. London: Continuum, pp.77-90. ETNOGRAFIA DA CIÊNCIA COMO PONTO DE PARTIDA PARA UMA REVISÃO DA SOCIOLOGIA DO SOCIAL EM BENEFÍCIO DE UMA SOCIOLOGIA DOS PROCESSOS DE ASSOCIAÇÃO: [B]ecause I started in science studies I realized that the social was not at the centre of sociology but […]