Práticas de contra-feitiçaria (Pignarre e Stengers 2007 [2005])

As técnicas ditas “materiais” não deixaram, desde que o capitalismo conseguiu “liberar as forças produtivas”, de fazer existir novas possibilidades, de inventar os meios de “fazer fazer” as coisas mais notáveis ​​com os elétrons, as bactérias, os vírus, e tantos outros seres dos quais a humanidade não fazia ideia há dois séculos… E esses meios têm pouco a ver com […]

Margulis na NASA e um IBM PC em Marte

If we take a typical inner planet and measure the atmospheric gases, we will have primarily carbon dioxide, some nitrogen and trace amounts of oxygen. Oxygen and nitrogen will remove each other – that is, they’ll react, form nitrates, and remove these gases from the atmosphere […]. But if we look at the atmosphere of the Earth, we have a […]

We are our virus (Margulis 1998)

We are persuaded that viruses do not belong in any of the five kingdoms. They are not alive since outside living cells they do nothing, ever. Viruses require the metabolism of the live cell because they lack the requisites to generate their own. Metabolism, the incessant chemistry of self-maintenance, is an essential feature of life. Viruses lack this. Through ceaseless […]

É brincadeira, mas é sério (Haraway 2018 [1996])

HARAWAY, Donna. 2018. Modest_Witness@Second_Millenium. FemaleManC_Meets_OncoMouseTM: feminism and technoscience. New York: Routledge. [1996] GENES R US Let me tell a parochial story, which travels widely, about turgid and hardened entities. Like toys in other games, Genes R Us, and “we” (who?) are our self-possessed products in an apotheosis of technological humanism. There is only one Actor, and we are It. Nature […]

Informação e virada cibernética (Garcia dos Santos 2003)

GARCIA DOS SANTOS, Laymert. 2003. A informação após a virada cibernética. In: Laymert Garcia dos Santos; Maria R. Kehl; Bernardo Kucinski; Walter Pinheiro. Revolução tecnológica, internet e socialismo. São Paulo: Editora Fundação Perseu Abramo, pp.9-33. UMA REVOLUÇÃO PARA ALÉM DO SOCIALISMO Gostaria de começar […] chamando a atenção […] para o título que foi dado […] à minha intervenção – […]

As técnicas do corpo (Mauss 2003 [1934])

MAUSS, Marcel. 2003. As técnicas do corpo. In: Sociologia e Antropologia. São Paulo: Cosac & Naify, pp.399-422. [1934] [Comunicação apresentada à Sociedade de Psicologia em 17 de maio de 1934. ] SUMÁRIO I. Noção de técnica do corpo II. Princípios de classificação das técnicas do corpo III. Enumeração biográfica das técnicas do corpo IV. Considerações gerais I. Noção de técnica […]

Máquina aberta no IFCH

O Grupo de Estudos Gilbert Simondon (GrEGS) convida para o lançamento do livro Máquina Aberta – a mentalidade técnica de Gilbert Simondon, organizado por Thiago Novaes, Evandro Smarieri e Lucas Vilalta, dia 27 de abril, às 19 horas no Auditório Fausto Castilho. Filósofo francês com suas teses publicadas em 2020 no Brasil, Gilbert Simondon tem despertado muito interesse nas mais […]

Reativando elementos

Este é o fichamento (na verdade uma coletânea de citações com títulos) do livro Reactivating elements: chemistry, ecology, practice, uma coletânea de artigos editada por Dimitris Papadopoulos, María Puig de la Bellacasa e Natasha Myers. Nem todos os textos foram contemplados neste fichamento, que se concentrou nas referências mais próximas ao sentido químico de “elementos”. Os textos foram apresentados na […]

Humanos e não-humanos em Latour (1994 [1991])

LATOUR, Bruno. 1994. Jamais fomos modernos: ensaio de antropologia simétrica. (trad. Carlos Irineu da Costa) Rio de Janeiro: Ed.34. [1991] O PROBLEMA DO HUMANISMO MODERNO A modernidade é muitas vezes definida através do humanismo, seja para saudar o nascimento do homem, seja para anunciar sua morte. Mas o próprio hábito é moderno, uma vez que este continua sendo assimétrico. Esquece […]

Os 6 critérios batesonianos para “processos mentais”

BATESON, Gregory. 1985. Criteria for mental process. In: Mind and nature: a necessary unity. New York: E.P. Dutton, pp.89-128. [1979] PROCESSO MENTAL (pensamento, evolucão, ecologia, vida, aprendizado) = O TODO (e não as partes) This chapter is an attempt to make a list of criteria such that if any aggregate of phenomena, any system, satisfies all the criteria listed, I […]