A agência social dos elementos químicos em letras de músicas como metodologia didática transversal para o Ensino Médio


The periodic table of music (https://en.chem-station.com/gallery/2014/04/periodic-table.html)

Resumo do Projeto

Esta pesquisa propõe realizar avanços em uma frente ainda pouco explorada de projetos anteriores financiados por este programa (PIBIC-EM): o desenvolvimento de metodologias e de materiais didáticos transdisciplinares em nível de Ensino Médio, envolvendo a agência social dos elementos químicos.

Nos Editais PIBIC-EM de 2018, 2019 e 2021, orientei estudantes de Ensino Médio em pesquisas exploratórias sobre aspectos diversos dos elementos químicos lítio (3-Li), silício (14-Si), cobre (26-Cu), prata (47-Ag), ouro (79-Au) e chumbo (82-Pb). Essas pesquisas sempre tiveram como recorte empírico a presença desses elementos na composição de componentes fundamentais de aparelhos eletrônicos, e de smartphones em particular (como fios de cobre e ouro, soldas com chumbo, contatos elétricos de prata, íons de lítio ou transístores de silício). As pesquisas realizadas com os bolsistas, porém, sempre foram muito além disso.

Descobrimos, por exemplo: usos higiênicos e médicos ancestrais e contemporâneos das propriedades oligodinâmicas da prata e do cobre; o papel dos halogenetos de prata na história da fotografia e do cinema; que Arfwedson e Berzelius isolaram sais de lítio pela primeira vez, em 1817, a partir de um mineral descoberto em 1796 na Suécia por José Bonifácio (petalita); sobre os efeitos neurotóxicos do chumbo e sobre a importância de controlar a sua disseminação ambiental; sobre a importância de metais ancestrais como a prata, o ouro e o chumbo na história da tecnologia, da alquimia e da química; e muito mais.

Paralelamente a essas pesquisas junto com estudantes de Ensino Médio, também supervisionei a atividade de bolsistas BAS-SAE, trabalhando principalmente no levantamento da presença de elementos químicos em corpora específicos (jornais, teses, livros, webpages, letras de músicas etc.), e na sistematização desses levantamentos na forma de fichas bibliográficas (publicadas como posts no site do projeto) e de arquivos (de imagem, textos e tabelas).

Em meio a esse acervo, o levantamento de letras de música com nomes de elementos químicos me pareceu particularmente interessante, enquanto exemplos concretos não só da agência social dos elementos químicos, mas do potencial transdisciplinar que essa abordagem pode ter no desenvolvimento de novas metodologias e materiais didáticos de Ensino Médio. Músicas podem ser exemplos concretos da agência social de certos elementos químicos quando os fazem-fazer coisas – explodir, brilhar, queimar, pesar, derreter, poluir, matar, ferir, atrair, afastar etc. Elementos fazem coisas diferentes em diferentes letras de músicas, mas também podem ser divididos em grandes grupos temáticos – radioatividade, bombas, poluição, metais e pedras preciosas, tecnologia, odores etc.

Trata-se de uma pesquisa exploratória, que resultará em um acervo de letras de músicas que mencionam elementos químicos, e em esforços de interpretação e sistematização desse acervo. Acredito que tais esforços teriam valor intrínseco, uma vez que estariam oferecendo aos bolsistas envolvidos uma oportunidade de exercitar sua criatividade na articulação, por meio de letras de músicas, de conhecimentos científicos e componentes curriculares do Ensino Médio. Mas além disso, acredito que o amadurecimento dessas interpretações e sistematizações poderia, enfim, permitir a proposição de novas metodologias e materiais didáticos, desenvolvendo temas transversais às diferentes áreas da BNCC, a partir do recorte da agência social dos elementos químicos. Muito além do que músicas que serviriam para ajudar estudantes a decorar listas de elementos químicos, o objetivo deste material seria oferecer músicas que ajudem estudantes a multiplicar articulações entre o modo de existência dos elementos químicos, e a vida humana em sociedade.

Objetivos

Esta pesquisa tem dois objetivos principais:

I – contribuir para a formação dos bolsistas e para sua iniciação na pesquisa científica na área de humanidades;
II – produzir metodologias e materiais didáticos transdisciplinares, ligando conteúdos curriculares de Ensino Médio de todas as áreas por meio da agência social dos elementos químicos.

Com relação ao primeiro objetivo, as reuniões semanais e o acompanhamento das atividades dos bolsistas, com o debate de leituras e o cuidado com as fontes e os conceitos, permitirá que o ofício da pesquisa científica seja cultivado entre os bolsistas. Além disso, a presença dos bolsistas no campus permitirá que eles conheçam a infra-estrutura da Unicamp, como salas de aula e bibliotecas.

Com relação ao segundo objetivo, buscaremos compor materiais textuais e audiovisuais, que mesclem letras de músicas a temas mais amplos por meio dos elementos químicos mencionados. Uma metodologia para o uso desse material também será elaborada, envolvendo atividades distintas e concatenadas, como: escuta das músicas; leitura das letras; debates coletivos; leitura de textos complementares; atividades de síntese.

Descrição das atividades de pesquisa

O projeto será realizado integralmente de forma presencial. Em síntese, os bolsistas precisarão: vir semanalmente ao IFCH-Unicamp toda quinta-feira das 14h às 17h; ler textos; escutar músicas; e escrever breves análises, além dos relatórios parcial e final.

Detalhando melhor, a pesquisa será realizada por meio de reuniões semanais coletivas com os bolsistas do projeto (às quintas-feiras, das 14h às 17h, na sala 26-B do prédio da Secretaria de Pós- Graduação do IFCH). Essas reuniões terão como objetivo o acompanhamento das pesquisas individuais pelo supervisor, e também a troca de informação entre todos os integrantes da equipe.

Em cada reunião, cada bolsista deverá apresentar uma breve análise de uma letra de música diferente. Essas análises serão comentadas e debatidas, e deverão ser registradas pelos estudantes na forma de fichas, que depois serão usadas em seus relatórios. Essas fichas serão publicadas semanalmente no site da pesquisa: https://sociologiaelementar.wordpress.com/. A definição das músicas a serem analisadas por cada bolsista será realizada pelo supervisor, e não terá finalidade exaustiva (todos os elementos da tabela periódica), antes levando em consideração aspectos como: gênero musical, relevância inferida do papel do elemento na letra, enriquecimento do corpus etc.

Um levantamento de letras de música já foi iniciado por uma bolsista BAS-SAE (Francisca D.C. Gomes), mas foi interrompido quando ela abandonou o projeto. Trata-se de uma tabela Excel com 1030 letras de música, indo do hidrogênio (1-H) até o xenônio (59-Xe), com as seguintes colunas: “site” (endereço eletrônico); “elemento” (nome do elemento químico); “título” (da música); “tipo” (álbum, música, banda etc.); “autor” (nome); “idioma” (original); “ano” (de lançamento da música); “gênero musical”; e “o que o elemento faz?” – sendo esta última preenchida com citações diretas da passagem da letra na qual o elemento aparece. Parte do trabalho dos bolsistas será a revisão e ampliação dessa tabela.

Além de analisar as letras de música, e de corrigir e atualizar a planilha do corpus, os bolsistas também entrarão em contato com leituras de sociologia, antropologia, história e filosofia, ligadas aos temas encontrados nas letras das músicas. A análise da ação explosiva do hidrogênio nas bombas, por exemplo, pode levar a leituras e debates sobre a Segunda Guerra Mundial e a Guerra-Fria; ao passo que a análise da ação tóxica do urânio pode levar a leituras e debates sobre matriz energética, sustentabilidade e meio-ambiente; ou mesmo a análise da ação eletrônica do silício pode levar a leituras e debates sobre as tecnologias da informação e a sociedade em rede. Esse tipo de desdobramento das análises das letras será o disparador dos temas transversais que serão posteriormente amadurecidos e transformados em materiais didáticos trasdisciplinares.

Cabe registrar também que os bolsistas deverão redigir seus próprios relatórios parcial e final, e deverão se inscrever e participar do XXXI Congresso de Iniciação Científica da Unicamp, previsto para ocorrer em 2023.

CRONOGRAMA DETALHADO
09/2022 – Início do projeto. Apresentação da pesquisa e das atividades previstas. Introdução dos bolsistas à infra-estrutura da Unicamp e do LaSPA. Reuniões semanais.
10/2022 – Início das análises das músicas e da publicação das fichas no site da pesquisa. Previsão de análise de 2 ou 3 músicas por bolsista. Publicação das análises no site da pesquisa, e realização de reuniões semanais.
11/2022 – Previsão de análise de 3 ou 4 músicas por bolsista. Publicação das análises no site da pesquisa, e realização de reuniões semanais.
12/2022 – Previsão de análise de 4 músicas por bolsista. Publicação das análises no site da pesquisa, e realização de reuniões semanais (exceto no recesso de final de ano).
01/2023 – Previsão de análise de 4 músicas por bolsista. Publicação das análises no site da pesquisa.
02/2023 – Previsão de análise de 2 músicas por bolsista. Publicação das análises no site da pesquisa, e realização de reuniões semanais. Redação dos relatórios parciais. Espera-se que, neste momento, e com 3 bolsistas, já tenha sido realizada a análise de aproximadamente 51 letras de músicas (17 por bolsista).
03/2023 – Previsão de análise de 4 músicas por bolsista. Publicação das análises no site da pesquisa, e realização de reuniões semanais. Submissão dos relatórios parciais.
04/2023 – Previsão de análise de 4 músicas por bolsista. Publicação das análises no site da pesquisa, e realização de reuniões semanais.
05/2023 – Previsão de análise de 4 músicas por bolsista. Publicação das análises no site da pesquisa, e realização de reuniões semanais.
06/2023 – Previsão de análise de 4 músicas por bolsista. Publicação das análises no site da pesquisa, e realização de reuniões semanais.
07/2023 – Reuniões finais de síntese e sistematização dos resultados das pesquisas. Espera-se que, neste momento, e com 3 bolsistas, já tenha sido realizada a análise de aproximadamente 99 letras de músicas no total (33 por bolsista).
08/2023 – Produção do material didático previsto. Redação e submissão dos relatórios finais.

Forma de acompanhamento e avaliação do desempenho do aluno

Os bolsistas serão acompanhados por meio de reuniões semanais, onde conversaremos sobre os avanços e dificuldades das pesquisas. Cada bolsista deverá redigir uma ficha por semana, com a sua análise de uma letra de música. Seu desempenho será avaliado semanalmente, com o objetivo de favorecer sua iniciação à pesquisa científica.

Forma de avaliação do resultado

O resultado esperado para esta pesquisa, além de contribuir para a formação dos bolsistas, é a produção de metodologias e materiais didáticos audiovisuais transdisciplinares envolvendo a agência social dos elementos químicos. Esperamos conseguir produzir uma variedade suficiente de exemplos e casos de trabalho, capaz de estimular o seu uso concreto, e também o seu desdobramento em outros formatos, como vídeos e podcasts. Assim, o resultado da pesquisa será bem avaliado se tiver:
(1) contribuído para a formação escolar dos bolsistas e para sua iniciação na prática científica;
(2) produzido materiais didáticos funcionais envolvendo temas transversais por meio da agência social dos elementos químicos;
(3) motivado o desdobramento desses materiais em outras mídias, como vídeo e podcasts.